Suspensões (P4) - Barras Estabilizadoras

Imagine que põe uma algema na perna esquerda logo acima do joelho e outra na perna direita. Imagine que liga as duas algemas por uma corrente. Agora flicta a perna esquerda para cima. Experimente também com a direita.

 

Há-de reparar que consegue flectir individualmente as duas pernas, mas, só até um determinado ponto - nunca na totalidade. É este tipo de fenómeno que se passa com a barra estabilizadora.

A barra estabilizadora é um varão de aço que liga as suspensões esquerda e direita de um mesmo eixo e que, por sua vez está ligada à estrutura inferior do veículo.

 

 

 

 

Qual é a vantagem ?

Muito bem! A vantagem é que a suspensão esquerda e direita podem deformar-se individual e independentemente, mas, a partir de um determinado ponto, não conseguem assumir maior diferença de deformação entre elas.

Este fenómeno faz sustentar mais as suspensões do mesmo eixo, não permitindo que a carroçaria role demasiado quando ocorre uma transferência de massa (transferência de peso de um lado para o outro) numa curva, aceleração forte ou travagem brusca.

A barras estabilizadoras dão mais sustentação e linearidade ao veículo quando descreve uma trajectória curva, travagem muito forte (reduzindo o efeito de mergulho da frente do veículo) ou forte aceleração (evitando o efeito "cavalinho" da zona frontal também).