Suspensões (P7) - Mcpherson

Este sistema é utilizado na grande maioria dos automóveis, e, em muitos casos, em comunhão com outros tipos de suspensão, como os duplos triângulos e os braços oscilantes.

Neste sistema, o amortecedor é concêntrico com uma mola helicoidal, sendo esta disposição, uma ligação entre a manga de eixo da roda e a estrutura da viatura.

A carroçaria do veiculo torna-se no elemento de suporte e tem que ser robusta nas zonas de apoio.

Adicionalmente, pode ser usada uma barra estabilizadora.

O seu funcionamento é muito eficaz face ao custo de produção, sendo por isso utilizado na esmagadora maioria das viaturas disponíveis no mercado.

 

 

 

 

 

 

 

Triângulos sobrepostos - Neste sistema, a manga de eixo da roda é ligada ao chassis por duas pequenas estruturas triangulares.

A esta geometria pode estar associada uma estrutura Macpherson ou uma barra de torção.

Se os triângulos de suspensão superior e inferior tiverem o mesmo comprimento e forem dispostos paralelamente, a roda oscila sem variar os ângulos de convergência e de camber.

No caso de o triângulo superior ser mais curto, a roda não se move apenas verticalmente, mas torna o seu ângulo de camber mais negativo, gerindo a área de contacto do pneu de modo a proporcionar acréscimo de estabilidade.

Este sistema é utilizado em alguns automóveis desportivos, e nos monolugares tipo Formula 1 com a diferença de utilizar o amortecedor e a mola dispostos horizontalmente, levando então a designação "pushrod".

 

 

 

Barra de Torção - Neste caso, o elemento elástico da suspensão que faz a função de mola é uma barra, que é também uma ligação à carroçaria.

Esta barra, ao deformar-se elasticamente, segundo um movimento de torção, possibilita o movimento relativo entre a roda e o chassis.