Suspensões (P9) - Pneumática

Como se pode subentender do nome, esta suspensão trabalha com base num gás - neste caso, trata-se de simples ar.

 

Cada roda do veículo tem um fole com capacidade para se comprimir ou distender, de acordo com as solicitações do solo.

Um compressor encarrega-se de enviar ar sob pressão para os 4 foles associados às 4 rodas do veículo.

A acção de compressão e distensão dos foles absorve e liberta a energia gerada pelo impacto das rodas no solo.

É como se todo o veículo tivesse uma almofada de ar interposta entre a carroçaria e a estrada.

Esta suspensão é pouco utilizada em veículos ligeiros mas largamente difundida em veículos pesados de passageiros.

Num autocarro de turismo pode proporcionar um conforto superior que uma suspensão mecânica tradicional dificilmente conseguiria obter neste tipo de veículos.

O princípio de funcionamento e o efeito prático desta suspensão é muito similar à hidropneumática.

 

Estas duas suspensões são utilizadas por alguns construtores em modelos topo de gama, cujo objectivo consiste em proporcionar um conforto acrescido aos seus clientes - alvo.

 Este tipo de suspensão tem como vantagens a possibilidade de manter o veículo a uma altura constante em qualquer situação de carga, maior conforto e ainda o nivelamento da suspensão em várias alturas ao solo.

A grande diferença nestas suspensões é o facto das molas de aço tradicionais serem substituídas por elementos pneumáticos. Os elementos pneumáticos são foles que contêm ar pressurizado. Se for necessário maior taragem, por exemplo por levar carga, um compressor fornece ar aos foles para que a pressão dentro destes aumente.

Este sistema tem a desvantagem de apresentar um elevado custo de produção.

Sistema Airmatic

Este sistema utiliza elementos pneumáticos em substituição da mola, adicionando o controlo automático da taragem e altura do veículo.

Neste caso, quando o veículo circula a mais de 140Km/h, a suspensão baixa 15mm de modo a melhorar o comportamento e a reduzir o consumo (devido à menor área frontal).

Em situações que seja necessária uma maior altura ao solo, pressionando um botão pode-se elevar o veículo em 35mm.

Associado encontra-se o controlo de amortecimento e o controlo de rolamento da carroçaria.

No primeiro caso a taragem é adaptada conforme o estilo de condução. Este controlo é efectuado de modo automático pela central de controlo electrónico, existindo ainda a possibilidade de regulação manual.

No segundo caso, a central controla a inclinação do veículo através da pressão nos foles. Deste modo, quando o veículo começa a inclinar, os foles dos pontos sujeitos a maior carga são pressurizados para compensar, limitando a inclinação quer seja em curva, travagem ou aceleração.