Sistema Eléctrico (Parte I – Introdução)

Os sistemas eléctricos usados até hoje, mais parecem um amontoado de fios a fazer lembrar uma cabeleira despenteada. As necessidades iniciais do automóvel neste capítulo eram muito básicas e reduzidas: ao nível dos motores para fazer trabalhar as velas (de ignição para os motores a gasolina e de incandescência para iniciar a marcha dos motores diesel) e ao nível das carroçarias para poder dar luz interior e exterior.

 

Hoje em dia, com as fechaduras centralizadas, vidros eléctricos e toda a electrónica de ajuda à condução (gestão do funcionamento dos motores, ABS, controlo de tracção, controlo de estabilidade, suspensões activas, etc, etc, etc...), a parte eléctrica e electrónica dos carros é tão sofisticada como os mais complexos computadores.

Não é por acaso que já se ouve falar com vulgaridade de software de gestão nos automóveis. E não se trata apenas de uma expressão. Na realidade, modernos computadores gerem o funcionamento dos veículos actuais. 

Hoje em dia, começa a ser vulgar a utilização de sistemas Multiplexagem, permitindo uma maior comunicação de dados de informação entre os vários sistemas, reduzindo substancialmente a cablagem.