Sistema Eléctrico (Parte III - Multiplexagem)

Desde que surgiu nos primeiros automóveis, o sistema eléctrico tornou-se cada vez mais complexo.

Não é assim de estranhar que se encontrem (hoje em dia) veículos com cablagens que chegam a alcançar dois quilómetros de comprimento total.

 

Para fazer face a este "desperdício", existem já no mercado alguns veículos que utilizam a multiplexagem.

 

A multiplexagem não é mais do que a simplificação do sistema eléctrico através da sua divisão em grandes grupos.

 

Podemos então ter:

  • Sistemas do motor
  • Sistemas de conforto
  • Sistemas de segurança
  • Sistemas de iluminação

 

Um sistema de multiplexagem é basicamente constituído por uma central de controlo, a cablagem e um descodificador em cada equipamento terminal.

 

Por cada um dos sistemas anteriormente referidos, ao invés de cablagem dedicada a cada sub-sistema, passamos a ter um único condutor (em fio de cobre ou, em alguns, casos fibra óptica) que fornece impulsos a todos os órgãos.

 

Estes fios condutores provêm de uma central que controla todos os sistemas e que envia impulsos diferentes, conforme a ordem que se pretende executar. A cada impulso corresponde então um comando que é interpretado por um receptor no equipamento que se pretende accionar.

 

Os receptores distinguem os comandos que a eles se destinam, ignorando todos os outros.

 

Com a multiplexagem consegue-se uma interactuação sem precedentes entre equipamentos, novas funcionalidades, e, devido à simplificação do sistema eléctrico, uma maior fiabilidade.