Suspensões Activas

Outro órgão (apesar de raro e caro, apenas aplicado em algumas viaturas de luxo ou desportivas) importante para a segurança activa é a suspensão activa.

 

Este tipo de suspensão denomina-se activa porque reage a uma determinada solicitação, contrariamente ao que acontece nas suspensões tradicionais que apenas suportam as cargas provocadas pelo veículo.

Como é que esta suspensão reage? Muito simples!

Sempre que descrevemos uma curva, a carroçaria de qualquer veículo adorna para o exterior da curva.

De modo a evitar o arrastamento da carroçaria e a consequente dificuldade de execução da curva, este tipo de suspensões actuam (expandem-se/distendem-se) de modo a puxar/levantar a parte da carroçaria que está a adornar.

Consequentemente, sempre que descrevemos uma curva, por via da intervenção desta suspensão, a carroçaria mantém-se direita e quase paralela ao solo. A consequência natural é que conseguimos curvar muito mais rápido, com maior segurança e muito mais facilidade.

 

É preciso não esquecer que, em veículos equipados com esta suspensão, torna-se necessário termos uma condução muito mais atenta - uma vez que vamos ter mais dificuldade em "ler" os limites do veículo. Há-de chegar a uma fase (velocidade de passagem em curva excessiva) em que a carroçaria continua a comportar-se estável como sempre, mas, a dada altura, os pneus cedem (perdem aderência muito rapidamente). Como consequência, temos muito menos tempo para reagir e corrigir a trajectória, aumentando substancialmente as hipóteses de acidente e de forma muito mais violenta.