Condução em Segurança (Parte II - Posição de Condução1)

Da mesma forma que não se deve conduzir "deitado", também não devemos fazê-lo demasiado flectidos e perto do volante.

Sabia, por exemplo, que deve manter uma distância de aproximadamente 20 cm da sua face em relação ao volante? É que, se disparar o airbag num acidente, pode magoar-se seriamente se estiver muito próximo dele.

Embora a posição de condução deva ser, basicamente, confortável para quem está a conduzir, existem algumas "menemónicas"/"truques" para se aproximar da posição ideal. Senão vejamos:

 

Posicionamento dos braços

Ajuste o banco (costas) de modo a que, com o corpo confortavelmente apoiado, possa conseguir chegar com o pulso de um braço ao topo do volante. Tentando explicar melhor: estique o seu braço direito (por exemplo), com as costas bem apoiadas no banco. Ponha o braço por cima do volante. Se conseguir apoiar o pulso em cima do volante (note bem, o pulso e não a sua mão), está numa posição correcta ou muito próxima disso.

 

Posicionamento das pernas

Posicione longitudinalmente o banco até encontrar a sua posição preferida para atingir os pedais.

Agora faça o seguinte teste: utilize a sua perna direita (eu não me enganei - estou a falar da perna direita) e tente pressionar todo o curso do pedal de embraiagem com o pé direito. Se conseguir pressionar totalmente a embraiagem com esse pé, está muito próximo da posição ideal nos pedais.

 

Mas atenção...

Agora não se esqueça do seguinte. Quando acabar de encontrar a posição de condução correcta, faça ligeiras afinações para encontrar o melhor conforto possível. Estas regras ajudam a encontrar a posição correcta evitando uma condução desajustada e perigosa. No entanto, cada pessoa, conforme a sua estatura, terá que fazer pequenos ajustes para se sentir bem (e fresco) ao volante. Caso contrário, isto faria parecer o afamado episódio do filme português "O Pátio das Cantigas" quando o Ribeirinho (no papel de filho) estava a dar uma aula de exercício físico ao Vasco Santana (no papel de pai): Pernas Esticadas! Barriga para dentro! Peito para fora!, etc... - e no fim da todas estas instruções o "desgraçado" do Vasco Santana, visto de lado, parecia um "S".