Relação de Transmissão

O que é?

Exemplo: vamos admitir que o catálogo de um veículo refere que a relação da 1ª velocidade é de 3,500 – isto quer dizer que o carreto que está no trem que recebe movimento do motor (carreto mandante) é 3,5 vezes menor que o carreto que está no trem que transporta o movimento para a saída da caixa de velocidades em direção às rodas de tração. Assim, neste caso, por cada 3,5 voltas que o motor dá apenas sairá 1 rotação da caixa de velocidades o que, pela lógica, se percebe que é uma mudança para dar força ao veículo.

Outro exemplo: vamos admitir que o catálogo refere que a 4ª velocidade tem uma relação de 1,000 – isto quer dizer que o carreto que está no trem que recebe movimento do motor tem a mesma dimensão daquele que transmite o movimento para fora da caixa de velocidades e que, por cada rotação que o motor dá, sairá também uma única rotação da caixa de velocidades (uma vez que ambos têm as mesmas dimensões) e, pela lógica, é fácil concluir que se trata de uma mudança para gerar velocidade no veículo porque este tipo de relação de transmissão=”rapport” não reduz a rotação à saída da caixa de velocidades.

Para que serve?

Relação obtida pelo emparelhamento de dois carretos da caixa de velocidades que se engrenam entre si para dar mais velocidade ou força ao veículo.