Estreia mundial do Mercedes-Benz 300 SEL 6.3 em 1968

A Mercedes-Benz causou sensação no Salão de Genebra em março de 1968 com a apresentação do 300 SEL 6.3 (W 109). O modelo V8 topo de gama da marca de Estugarda revelava um desempenho ao nível de um veículo desportivo – a aceleração dos 0 aos 100 km/h em 6.5 segundos e uma velocidade máxima de 220 km/h, eram valores excecionais naquela época.

 

Além disso, o modelo contava ainda com um vasto equipamento de série e o inigualável conforto da Mercedes-Benz. O 300 SEL 6.3 continua a fascinar com o seu elevado nível de perfeição. Há muito que é dos mais cobiçados artigos de coleção da Mercedes.

 

Um teste de estrada com um Mercedes-Benz 300 SEL 6.3 demonstra de forma impressionante todas as qualidades desta potente limousine, um veículo de sonho aquando da sua estreia em 1968. Atualmente, o 300 SEL 6.3 é considerado um clássico de sonho precisamente por estas qualidades. O V8 revela-se com um rugido suave quando a chave é rodada. Os 184 kW (250 CV) de potência às 4,000 rpm e um peso em vazio de 1,780 quilogramas são uma excelente combinação. Um toque no acelerador mostra a potência que, em poucos segundos, permite esta limousine revelar as suas melhores qualidades em estrada. O volante de grandes dimensões com aro elegante causa uma sensação de estranheza no primeiro contacto, mas graças à assistência à direção, o “6.3” é uma experiência extremamente agradável. O automóvel impressiona não só pela sua potência e controlo, mas também pelo conforto excecional, espaço e ambiente agradável. Não é de admirar que o 300 SEL 6.3, que complementou a série W 109 como modelo porta-estandarte em 1968, tenha estabelecido novos padrões naquela época. É considerado como o progenitor de todos os modelos limousine Mercedes-Benz de elevadas prestações.

 

O Mercedes-Benz 300 SEL 6.3 celebrou a sua estreia em março de 1968. Esta limousine preencheu a lacuna existente entre o 300 SEL e o 600 (W 100), a partir do qual foi adotado o motor V8 do 300 SEL 6.3. O novo modelo reivindicou uma posição de topo no panorama internacional.

 

Um nível de conforto de condução que responde a qualquer desejo

Os dados técnicos confirmam notavelmente as características de desempenho do veículo ao nível de um desportivo. A sua velocidade máxima é de 220 km/h. O modelo acelera dos 0 aos 100 km/h em 6,5 segundos e atinge o primeiro quilómetro em 27.1 segundos.

 

No exterior, a limousine não apresentava praticamente nenhuma diferença em relação aos outros modelos da série W 108/109. Apenas a inscrição “6.3” no lado direito da tampa da bagageira, os faróis duplos de halogéneo com a última tecnologia de iluminação e os adicionais faróis de nevoeiro dianteiros distinguiam o emblemático modelo, que de outra forma seria extremamente discreto.

 

No interior, um velocímetro com uma escala maior, um conta-rotações na versão de série e um diferente posicionamento do relógio distinguem o “6.3” do 300 SEL. A suspensão pneumática e o controlo automático da altura ao solo fornecem uma excelente base para o modelo desportivo: adapta-se automaticamente às variações da carga. Os travões de disco ventilados internamente nas quatro rodas asseguram uma ótima travagem. O vasto equipamento de série também inclui assistência à direção, uma caixa de velocidades de comando suave e rápido, um bloqueio do diferencial, vidros elétricos e um fecho central pneumático.

 

O musculado motor V8 com uma cilindrada de 6,333 centímetros cúbicos foi adotado da prestigiada limousine Mercedes-Benz 600 (W 100), com ligeiras alterações. Está equipado com uma bomba de injeção de oito êmbolos com arranque automático a frio e aquecimento até à temperatura normal de funcionamento, que considera a posição do pedal do acelerador, a rotação do motor, a pressão do ar e a temperatura do líquido de arrefecimento. O combustível é injetado a alta pressão no coletor de admissão por oito injetores. Esta configuração revelou-se um enorme sucesso em todos os modelos Mercedes-Benz SE durante anos e assegurou uma combustão eficiente. A secção dianteira, o túnel da transmissão e a estrutura do piso do veículo foram modificados para acomodar o motor no modelo W 109.

 

Uma ideia de Erich Waxenberger

O 300 SEL 6.3 teve origem numa ideia de Erich Waxenberger, um engenheiro de testes da Mercedes-Benz. Nos anos 60 reconheceu o potencial do motor V8 no Model 600 para a série W109. Inicialmente sem o conhecimento do diretor de desenvolvimento de veículos ligeiros de passageiros, Rudolf Uhlenhaut, construiu um veículo de testes. Contudo, foi por pouco tempo que Uhlenhaut manteve o seu desconhecimento sobre o assunto: sentado no seu gabinete, ouviu o rugido do motor do protótipo e convocou imediatamente Waxenberger para apresentar um relatório que levou ao consentimento da continuação do trabalho de desenvolvimento.

 

Potente e luxuoso: o Mercedes-Benz 300 SEL 6.3 no topo da série W 109. Não admira que, com os seus dados de desempenho ao nível de um veículo desportivo, seja considerado o progenitor das limousines de luxo, conforto e de elevadas prestações, e o fundador de uma tradição de sucesso que perdura atualmente. Até 1972 foram produzidas 6,526 unidades. O volume unitário comparativamente elevado para a época marcou a entrada da Mercedes-Benz no segmento de limousines de elevada potência.

 

Este fascinante modelo há muito que se tornou um clássico no mercado de colecionadores. Atualmente é bastante procurado e os preços dos veículos disponíveis aumentaram substancialmente – poderá custar mais de 80,000 euros. Este é um modelo que marcou a história do automóvel com um potente motor de oito cilindros e um elevado desempenho.