Groupe PSA - Crescimento de 38,1% das vendas mundiais no 1º semestre de 2018

A ofensiva SUV do Groupe PSA, através de 13 modelos[1] lançados em todo o mundo pelas suas 5 marcas – Peugeot, Citroën, DS Automobiles, Opel et Vauxhall – suportaram a boa dinâmica comercial da empresa no primeiro semestre de 2018. O volume SUV (mais de 609.300 unidades) representa cerca de 28% das vendas do Grupo. O sucesso destes modelos colocou, no final de maio passado, o Groupe PSA no 2º lugar do mercado europeu, com uma quota de 16,9% neste segmento, e em 1.º lugar no segmento B-SUV.

 

 

A marca Peugeot é líder do mercado SUV europeu, tendo comercializado mais de 339.200 unidades em todo mundo (+26%). Desde o início do ano, a Peugeot tem confirmado a boa dinâmica do SUV PEUGEOT 3008, modelo de vendeu 144.000 unidades (+37%), retirando, igualmente, benefícios do sucesso comercial do novo PEUGEOT 5008, com 58.900 unidades vendidas.

 

Lançada no outono passado, a ofensiva SUV da Citroën é suportada pelo C3 Aircross na Europa e pelo C5 Aircross na China, modelos que, em conjunto, totalizaram cerca de 80.000 unidades vendidas no 1º semestre de 2018, volume que ascende a 135.000 unidades desde os seus respetivos lançamentos. Os novos C4 Aircross e C5 Aircross, modelos a lançar na segunda metade do ano na China e na Europa, respetivamente, permitirão à Citroën acelerar esta sua ofensiva.

 

Lançado em fevereiro de 2018 a nível mundial, o DS 7 CROSSBACK, primeiro modelo DS da segunda geração, está no foco do crescimento que a DS Automobiles alcançou no 2º trimestre (+35%). Dois em cada três clientes optam pelas versões topo de gama e, além do DS 7 CROSSBACK integrar equipamento premium logo a partir do nível de entrada, um cliente em cada dois adquire a opção DS CONNECTED PILOT, porta de entrada rumo à condução autónoma de nível 2.

 

As marcas Opel e Vauxhall integram, igualmente, uma ofensiva de produto histórica no segmento dos SUV, através da família “X”, composta pelos modelos Crossland X, Mokka X, e Grandland X, representando, em conjunto, 167.200 unidades vendidas no decurso do 1º semestre do ano, num processo concentrado na melhoria da rentabilidade das marcas, em coerência com o plano estratégico PACE!.

 

O Groupe PSA regista um novo recorde de vendas no mercado VCL: 289.500 unidades vendidas, o que representa um crescimento de 32,8%.Sem se incluir a Opel/Vauxhall, essa evolução é de 8,3%.

 

Após a renovação dos seus furgões compactos em 2016, o Grupo aposta numa nova etapa na modernização da sua oferta VCL, com a introdução, na segunda metade deste ano, de uma nova geração de pequenos furgões: PEUGEOT Partner, CITROËN Berlingo Van e OPEL/VAUXHALL Combo.

 

Na Europa, o Groupe PSA, líder de um mercado onde regista mais do que uma venda em cada quatro unidades comercializadas, foi, também, líder no final de maio no subsegmento dos pequenos furgões (35,2% de quota) e dos comerciais médios (26,2%).

 

Fora da Europa, o Grupo também continua com a sua ofensiva VCL: na Eurásia as vendas aumentaram 9%, com a nova produção local dos novos PEUGEOT Expert e CITROËN Jumpy, lançados no 1º semestre, e na América Latina, onde uma oferta renovada de produtos e serviços contribuiu para um crescimento dos volumes em 27,8%.

 

Europa: crescimento e performance

Na Europa, as vendas do Grupo ascenderam a 1.673.700 unidades, um aumento de 61,5%, incluindo 550.900 unidades vendidas pelas marcas Opel e Vauxhall. A sua quota de mercado atingiu os 17,2%, aumentando 6 pontos percentuais.

 

No perímetro das marcas Peugeot-Citroën-DS Automobiles, a quota de mercado do Grupo evoluiu nos seus principais mercados: França (+0,3 pontos), Espanha (+0,8), Itália (+1,1), Grã-Bretanha (+0,2) e Alemanha (+0,2). A sua performance foi reforçada com a integração da Opel/Vauxhall, nomeadamente no mercado alemão (quota de mercado de 10,4%) e na Grã-Bretanha (14,8%).

 

A Peugeot é a marca que mais evoluiu desde o início de 2018. Os PEUGEOT 2008 e 3008 surgiam, no final de maio, no pódio do seu segmento, respetivamente, na 2ª e 3ª posições. O novo PEUGEOT 508 regista uma excelente receção, com mais de 2.000 encomendas desde o seu lançamento, incluindo 1.000 unidades da versão “First Edition”, que apenas podia ser encomendada online.

 

As vendas da Citroën aumentaram 7,4%, atingindo um volume recorde de 7 anos na Europa. Este desempenho permite-lhe ganhar quota de mercado, nomeadamente com o C3, modelo que integra o top 5 do seu segmento, com a nova Berlina C4 Cactus, lançada em março (+35% no 2º trimestre) e com o novo SUV C3 Aircross (mais de 90.000 encomendas na Europa desde o seu lançamento, em outubro último).

 

A marca DS registou um crescimento nas suas vendas, na ordem dos 25,1%, no 2º trimestre deste ano, com um aumento de 43%. Em França, o seu mercado principal, o DS 7 CROSSBACK assume a liderança da categoria no seu mercado dos C-SUV premium há 3 meses consecutivos. Com a abertura, na Europa, de 110 pontos de venda nos últimos 6 meses, o desenvolvimento da rede DS está a intensificar-se, passando a contar com 260 espaços dedicados.

 

Também a Opel/Vauxhall continua com a sua ofensiva europeia, suportada pela família “X”, sendo a marca líder deste mercado no subsegmento B-SUV, com 122.600 unidades vendidas dos modelos Mokka X e Crossland X. Após o lançamento da versão desportiva Insignia GSi, a marca irá propor, no 2º semestre, outro GSi, versão desportiva da gama Corsa. Os novos modelos Combo Life e Cargo irão contribuir para esta nova dinâmica.

 

Médio-Oriente & África: lançamento regional do Grupo e implementação da sua ofensiva de produto

Num contexto regional incerto, as vendas do Grupo ascenderam às 226.100 unidades[2], registando uma retração de 18,6%, resultante do facto de, desde o passado dia 1 de maio, não serem tidas em conta as vendas de veículos fabricados no Irão nas suas vendas globais consolidadas.

 

A marca Peugeot cresceu em quota de mercado na Tunísia, Turquia e Egito, continuando a ser o líder no mercado DOM (ex-territórios franceses ultramarinos).

 

O Groupe PSA continua com o seu plano estratégico de desenvolvimento industrial, tendo assinado, em março último, um acordo de joint-venture para arrancar com uma fábrica de montagem Peugeot e Opel em Walvis Bay, na Namíbia, arrancando também, a partir de setembro próximo, com a montagem da Peugeot Pick-Up na Tunísia.

 

O Grupo reforçou também a sua presença comercial no Egito, com a assinatura de um novo acordo de importação com o Groupe Mansour et Scope Investiment, para a distribuição de produtos da Peugeot. Na África do Sul, no Líbano, Tunísia e Marrocos, o Grupo está a nomear parceiros de distribuição Opel.

 

Finalmente, a ofensiva do Groupe PSA na região continua, em especial com o alargamento da oferta SUV, através dos modelos CITROËN C3 Aircross, OPEL Crossland X e Grandland X, DS 7 CROSSBACK e PEUGEOT 3008, que ocupam lugares no pódio do seu segmento no mercado DOM e Turquia. A marca DS continua a desenvolver a sua rede, contando, atualmente, com 12 DS Stores e DS Salons na região.

 

China & Sudoeste Asiático: A recuperação comercial continua

Com 163.000 veículos vendidos na China e Sudeste Asiático, uma evolução de 6,9%, o Grupo registou os primeiros sinais de recuperação comercial. A Citroën foi a marca que mais contribui para este crescimento, registando um aumento de 50,5% nas suas vendas, especialmente graças à sua gama de berlinas e ao lançamento do SUV C5 Aircross, em setembro último.

 

O mix de volume da família SUV PEUGEOT 3008/4008/5008 também evoluiu, representando 40% do volume total de vendas da marca.

 

No 2º trimestre de 2018, as vendas da DS Automobiles mantiveram-se estáveis. Na China, o DS 7 CROSSBACK foi lançado no final de abril, no Salão de Pequim.

 

No 1º semestre, o Grupo deu passos importantes com vista ao fortalecimento da sua presença no Sudeste Asiático, tendo criado uma joint-venture com a NAZA Corporation Holdings (Malásia). O grupo PSA vendeu mais de 4.900 veículos na região ASEAN durante este 1º semestre. A aceleração nesta região é, agora, percetível.

 

América Latina: crescimento apesar dos ventos contrários

Na América Latina, o Groupe PSA registou 98.000 vendas, um aumento de 1,7%, mantendo a quota de mercado estável nos 3,9%. Este crescimento foi alcançado no contexto de uma significativa queda no mercado argentino (-18% em junho vs 2017), país onde o Grupo tem a sua quota de mercado mais robusta.

 

Na Argentina, a DS Automobiles consolidou o seu 4º lugar no mercado premium, graças ao  DS 3, modelo líder na sua categoria pelo 5º ano consecutivo.

 

Este crescimento de volumes foi suportado também pelas ofensivas VCL (+27,8%) e SUV (PEUGEOT 3008 e 5008).

 

Seguem-se novos lançamentos na região: CITROËN C4 Cactus (produzido no Brasil) e DS 7 CROSSBACK, bem como do OPEL Crossland X no Chile.

 

Índia-Pacífico: 13.300 unidades vendidas e 25,1% de crescimento

As vendas no Japão registaram uma forte evolução de 25%, tal como a Coreia, país que também registou um significativo crescimento de 18%. Foi ainda relançado o negócio na Austrália e na Nova Zelândia com progressos encorajadores.

 

Sucesso em toda a região para os PEUGEOT 3008 e 5008, e o CITROËN C3 no Japão.

 

Eurásia: crescimento de vendas de 18,1%

O Grupo está a evoluir nos seus dois principais mercados: Rússia (+19%) e Ucrânia (+32%), totalizando 7.700 unidades vendidas na região.

 

Este crescimento é impulsionado pela boa dinâmica dos modelos PEUGEOT 3008, C4 Sedan e do mercado VCL, através dos novos modelos PEUGEOT Expert / CITROËN Jumpy e PEUGEOT Traveller / CITROËN SpaceTourer, fabricados em Kaluga. As vendas de VCL subiram 9% na região.

 

Jean-Philippe Imparato, Diretor da marca Peugeot: “O primeiro semestre de 2018 confirma a excelente dinâmica da gama SUV da marca Peugeot. Com mais de 339.200 unidades vendidas em todo o mundo, a marca ocupa o 1º lugar do mercado SUV na Europa, com os PEUGEOT 2008, 3008 e 5008, evoluindo 26% face ao ano recorde de 2017. Com os lançamentos já anunciados do novo PEUGEOT 508 e do novo PEUGEOT Rifter, teremos todos os recursos para fortalecer a nossa performance num segundo semestre que se antevê emocionante!”

 

Linda Jackson, Diretora da marca Citroën: “Este primeiro semestre confirmou a ofensiva da Citroën, através de um crescimento de 9% das nossas vendas globais. Um resultado suportado por um recorde de vendas de 7 anos na Europa, que nos permite ganhar quota de mercado em VP e em VCL, e por uma recuperação superior a 50% na China. Essas performances sublinham o sucesso dos nossos mais recentes lançamentos: C3, nova Berlina C4 Cactus e os nossos SUV C3 Aircross, na Europa, e C5 Aircross, na China. Esta dinâmica irá continuar no segundo semestre com os lançamentos do novo Berlingo e dos SUV C4 Aircross na China e C5 Aircross na Europa.”

 

Yves Bonnefont, Diretor Geral da DS Automobiles: “Este primeiro semestre de 2018 com forte crescimento concretiza o lançamento global da marca DS. Com o lançamento comercial do DS 7 CROSSBACK, o primeiro modelo da segunda geração DS, o desenvolvimento da nossa rede exclusiva nos quatro cantos do mundo e a implantação do programa ‘Only You’, relativo à experiência do cliente DS, o nosso plano estratégico está em plena implementação e demonstra a sua eficácia.”


Michael Lohscheller, CEO da Opel/Vauxhall: “Nunca antes a nossa gama foi tão apreciada como o é hoje, especialmente a família ‘X’, aclamada pelos nossos clientes, permitindo-nos ser protagonistas no segmento muito atrativo dos SUV. O novo Combo permitir-nos-á ultrapassar outra importante etapa. Num segmento em pleno crescimento, o Combo Life, com o seu enorme espaço interior e os avançados equipamentos tecnológicos, oferece-nos oportunidades históricas. Já o Combo Cargo irá contribuir para a realização dos objetivos que definimos para o mercado VCL.



[1] PEUGEOT 2008, 3008, 4008 e 5008, CITROËN C3-XR, C3 Aircross, C4 Aircross e C5 Aircross, DS 6 WR China e
DS 7 CROSSBACK, OPEL / VAUXHALL Mokka X, Crossland X e Grandland X.

[2] De acordo com a decisão do Grupo de iniciar o processo de suspensão das suas atividades no Irão, a partir do dia 1 de maio de 2018, as vendas de veículos fabricados neste país passaram a não ser contabilizadas na sua consolidação de vendas mundiais.