Mustang é o Coupé Desportivo Mais Vendido do Mundo pelo Quarto Ano Consecutivo

Enquanto a Ford assinala os 55 anos do Mustang, entusiastas de todo o planeta celebram este que é, pelo quarto ano consecutivo, o coupé desportivo mais vendido do mundo. Da Austrália ao Perú, o Mustang impôs-se, em 2018, como o coupé desportivo mais vendido do planeta no ano passado, totalizando 113.066 unidades vendidas, de acordo com os dados apurados pela IHS Markit.

 

 

O ano de 2018 não marca apenas esse quarto ano consecutivo de liderança de vendas do Mustang a nível global, na classe dos coupés desportivos, assinalando ainda a liderança de vendas nos EUA, mercado onde a Ford vendeu nada menos de 75.842 Mustang no ano transacto.

 

Já em 2019, durante o primeiro trimestre, a Ford comercializou 2.300 Mustang na Europa, um aumento superior a 27 por cento face ao período homólogo do ano passado*.

 

Como refere Jim Farley, Presidente da Ford para os Mercados Globais, “Quando, há 55 anos, a Ford lançou o Mustang, surpreendemos tudo e todos. Nenhum outro está mais próximo da sensação de liberdade, do vento e do prazer de condução do que o Mustang. Nada supera o rugido do seu V8 num dia de Primavera. Não admira, por isso, que seja o coupé desportivo mas vendido em todo o mundo.”

 

Segundo os dados de vendas da Ford respeitantes a 2018, o Mustang está disponível comercialmente em 146 países. Desde 2015, foram vendidas, no planeta, mais de 500.000 unidades da actual sexta geração do Mustang, 45.000 das quais tiveram como destino a Europa, mercado onde o modelo adicionou meio ponto percentual à quota de mercado global, que é agora de 15,4 por cento. Uma boa parte deste crescimento fica a dever-se ao sucesso comercial do novo Mustang Bullitt.

 

* Volumes de vendas para os 20 principais mercados da Ford na Europa, com representação oficial através de companhias nacionais de vendas Os mercados Euro 20 são: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Grécia,Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Noruega, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Suécia e Suíça.

 

O Mustang apresenta emissões de CO2 desde 199 g/km e consumos desde 9,1 l/100 km.

 

Os Consumos de Combustível, as Emissões de CO2 e as Autonomias Eléctricas declaradas são medidos de acordo com os requisitos técnicos e especificações da Regulamentação Europeia (CE) 715/2007 e (CE) 692/2008, nas suas mais recentes redacções. Os consumos de combustível e as emissões de CO2 referem-se a uma determinada variante de veículo e não para uma unidade automóvel única. O procedimento do teste padrão aplicado permite a comparação entre diferentes tipos de veículos e fabricantes. Para além da eficiência de consumos de um automóvel, o comportamento ao volante, bem como outros factores não-técnicos desempenham um papel na determinação das emissões de CO2 e dos consumos de combustível de um automóvel. O CO2 é o principal gás responsável pelo aquecimento global.

 

Desde 1 de Setembro de 2017, alguns novos veículos têm vindo a ser certificados de acordo com a norma World Harmonised Light Vehicle Test Procedure (WLTP), segundo a directiva (EU) 2017/1151 na sua mais recente redacção, a qual traduz um novo e mais realístico formato de testes para a medição de consumos e emissões de CO2. A partir de 1 de Setembro de 2018 a norma WLTP começou a substituir a norma New European Drive Cycle (NEDC), procedimento que vai ser descontinuado. Durante esta Descontinuação Faseada da NEDC, os consumos e emissões de CO2 obtidos segundo a norma WLTP estão a ser comparados com os valores segundo a norma NEDC. Existirão, por essa razão, algumas discrepâncias face à anterior análise de consumos e emissões, pois alguns procedimentos base dos testes sofreram alterações: por exemplo, uma mesma viatura poderá ter diferentes valores de consumos e de emissões de CO2.