A eletrificação impulsionará as vendas da SEAT S.A. em 2021, depois de um ano marcado pela COVID-19

O impacto da COVID-19 abrandou temporariamente as vendas da SEAT S.A. Após um crescimento constante desde 2013, a empresa automóvel reduziu as entregas em 25,6% em 2020 e vendeu 427.000* automóveis (2019: 574.100), após ter atingido o maior volume da história da empresa em 2019.

 

 

Por país, a Alemanha consolidou-se como o primeiro mercado da SEAT S.A., com 109.500 veículos vendidos, menos 17,4% do que em 2019 (132.500), uma quota de mercado de 4% e 25,6% das vendas totais da empresa. Depois, Espanha ficou com 73.300 veículos, menos 32,1% do que no ano anterior (108 mil), e onde a marca SEAT foi líder pelo terceiro ano consecutivo, e o Reino Unido, com 45.600, menos 33,8% (68.800).

 

Portugal conquistou uma quota de mercado de 4,85%, sendo a 8ª Marca a nível nacional e a que mais vendeu dentro do Grupo VW em Portugal.

 

Espanha, Portugal e Reino Unido têm sido os principais mercados europeus onde o sector automóvel foi mais afetado pela crise do coronavírus.

 

Apesar da pandemia, as entregas da SEAT S.A. têm crescido em países como a Turquia e Israel. Na Turquia, a SEAT quase duplicou as vendas para um total de 11.600 automóveis vendidos, mais 95,3% (5.900), enquanto em Israel a empresa bateu o seu recorde de vendas pelo sétimo ano consecutivo e atingiu um total de 10.400 veículos comercializados, mais 13% do que em 2019 (9.200).

 

O presidente da SEAT e da CUPRA, Wayne Griffiths, explicou que "os resultados da SEAT S.A. estão em linha com os do setor automóvel na Europa. 2020 foi um ano muito difícil devido à paragem causada pela COVID-19 durante a primavera e aos efeitos da segunda vaga da pandemia na última parte do ano. Antes da COVID-19, as vendas da SEAT S.A. cresceram 6%, e também aumentaram para níveis recorde em setembro, quando o número de pessoas afetadas pelo vírus diminuiu."

 

Para 2021, Wayne Griffiths indicou que "prevemos que o primeiro trimestre seja complicado por restrições no fornecimento de componentes devido ainda aos efeitos da pandemia. Ainda assim, estamos otimistas de que temos uma boa procura pelos nossos modelos e planeamos alcançar um aumento sólido em 2021. Quando a situação de saúde melhorar e as restrições à mobilidade forem eliminadas, as vendas serão recuperadas. Os novos modelos eletrificados e o impulso que o Formentor vai dar às vendas da CUPRA serão fundamentais para o nosso crescimento."

 

CUPRA cresce em 2020 e bate o seu recorde mensal

A nova marca CUPRA bateu o seu recorde de vendas em 2020 e atingiu um total de 27.400 veículos vendidos, mais 11% do que em 2019 (24.700), pelo impulso em países como Alemanha, Itália e México e a receção do CUPRA Leon e-HYBRID. Em dezembro, a CUPRA alcançou também o maior volume de vendas da sua história num mês, com 3.600 automóveis vendidos, mais 93,1% do que em dezembro de 2019 (1.900). Desde a criação da CUPRA em 2018, foram comercializados mais de 65.000 automóveis.

 

* Resultado conjunto das marcas SEAT e CUPRA.

 

O modelo mais vendido da CUPRA em 2020 foi o Leon, com 13.300 unidades. Destaque ainda para o desempenho do CUPRA Ateca, com 10.500 veículos vendidos, e do novo Formentor, dos quais 3.600 unidades foram entregues desde o seu lançamento na reta final do ano.

 

As vendas da marca SEAT foram reduzidas em 27,3% em 2020, para um total de 399.600 veículos entregues (2019: 549.400), depois de se ter tornado, nos três anos anteriores, a marca que mais cresceu na Europa. A queda das vendas em mercados como Espanha e Reino Unido, fortemente punidos por restrições pandémicas, explica esta redução. Por modelo, o SEAT Leon voltou a ser o veículo mais vendido da marca (111.900) e ficou à frente do Arona (91.600), Ibiza (81.600) e Ateca (68.700).

 

Wayne Griffiths sublinhou que "o sucesso da CUPRA num ambiente tão complicado enche-nos de confiança e otimismo sobre o crescimento da marca. 2021 será o ano da transformação. Temos agora uma gama mais alargada graças ao novo CUPRA Formentor e à nova família Leon, ambos com versões híbridas plug-in elétricas, e este ano vamos apresentar o CUPRA el-Born, o primeiro elétrico da marca. Além disso, a nossa rede de pontos de venda também está a crescer." Wayne Griffiths apontou ainda que 2021 verá a recuperação das vendas da SEAT: "Melhorar a saúde e a situação económica juntamente com a renovação do Arona e Ibiza, que apresentaremos dentro de alguns meses, a nova família Leon, também com os modelos PHEV, e a atualização do Ateca, permitirá à SEAT voltar ao caminho do crescimento".

 

2021, um ano cheio de novidades eletrificadas

A SEAT S.A. planeia lançar três novos modelos eletrificados em 2021, que serão adicionados ao SEAT Mii electric, o primeiro veículo 100% elétrico da SEAT e às versões e-HYBRID do SEAT Leon e CUPRA Leon.

 

No primeiro trimestre de 2021, a CUPRA lançará as duas versões híbridas plug-in do Formentor, que serão fundamentais para o desenvolvimento do novo modelo e, na segunda parte do ano, está previsto o lançamento do CUPRA el-Born, o primeiro modelo 100% elétrico da marca.

 

Por seu lado, o novo SEAT Tarraco e-HYBRID também chegará às estradas nas primeiras semanas deste ano. Além disso, a SEAT vai renovar em 2021 dois dos modelos mais vendidos da marca: o Ibiza e o Arona.